sábado, 17 de novembro de 2007

Exige-Arq

Pelo que vamos sabendo, por mails, ou outras pessoas que vamos encontrando, o Exige_Arq criou um espaço de discussão colectiva que faltava na blogosfera. É importante saber disso, mas mais importante é que toda a gente também participe; com opiniões, testemunhos, críticas ou manifestos, todos os formatos e conteúdos são aceites. E só assim com a crescente participação de todos os arquitectos anónimos que se revêem neste espaço é que poderemos fazer com que este blog extravase o seu formato virtual e ganhe forma de Agora pública.

Já passaram alguns meses, e fomos conhecendo demasiados casos de pessoas, à espera de estágio porque a ordem não tem recursos humanos para processar todos os pedidos de admissão ( ainda que seja verdade, é simplesmente inaceitável ). Doutros, em que até arranjam estágio, mas ou é mal remunerado ou simplesmente, nem sequer é pago. E ainda mais pessoas, que não estando para aturar isto se vão embora desta choldra ingovernável. Curioso foi constantar que nos programas de candidatura das várias listas à direcção da Ordem, a questão dos estágios profissionais nem sequer veio à baila ( pelo menos com posições fortes e soluções pragmáticas )

Mas creio que haverá esperança. Tem que haver esperança. Basta que não estejamos resignados e participemos individualmente num processo, que se sabe moroso e difícil mas possível, de reforma da prática da arquitectura em Portugal. Aguns ateliers já começaram a limitar a contratação de pessoal, para que possam pagar salários. Outros já começaram a perceber que uma equipa rentável é uma equipa feliz, ou seja, que uma pessoa que trabalhe dez horas, fá-lo melhor de barriga cheia. Já é um sinal.

Sei que para os leitores e participantes deste blogue, nem sempre deve ser fácil expor ou escrever as suas desventuras no mundo laboral. Também não é uma tertúlia cor-de-rosa que aqui se quer promover. Mas, as várias experiências e partilha das mesmas, poderá ser uma grande ajuda para todos os que pensam que um caminho se faz caminhando, mas com apoio é bem melhor. E, claro, exponham também casos de sucesso, são também e sobretudo benvindos.

E bem fiquemos por aqui, esperando que daqui a uma semana a caixa de correio do exige-arq não dê para as encomendas. POWER TO THE ARCHITECTS ( e que se lixem também ).

2 comentários:

adam brown disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
jraulcaires disse...

Passados dois anos, parece que tudo entrou numa aparente normalidade...

Os jovens recem licenciados lá chupam com os pseudo estágios, a Parque escolar adjudica, o Rodeia martela e tudo como dantes, quartel de Abrantes...

as pessoas gostam disto, sempre é melhor do que terem que trabalhar a sério, e estudar, que também dá muito trabalho. Lá vão fazendo os renders e tomando conta de alvarás...

São técnicos de higiene e segurança no trabalho...